ENTRETENIMENTO

Hipótese Siluriana: existiu uma antiga civilização avançada na Terra?



Esse questionamento surgiu na cabeça do climatologista Gavin Schmidt, atual diretor do Instituto Goddard de Estudos Espaciais da NASA, quando ficou fascinado pelo estudo do Máximo Térmico do Paleoceno-Eoceno (PETM), uma brusca mudança do clima que marcou o fim do Paleoceno e começo do Eoceno, há 55,8 milhões de anos. O que mais o intrigou foi sua semelhança com a nossa época: os níveis de carbono dispararam, bem como as temperaturas, e os ecossistemas decaíram.

Schmidt e mais um grupo de especialistas tentou adivinhar quais processos naturais poderiam ter desencadeado um aquecimento global tão severo naquela época.

A grande hipótese


(Fonte: National Geographic/Reprodução)

O climatologista sugeriu para os demais colegas de estudo a possibilidade de uma raça ancestral e intelectualmente avançada vivendo sobre a Terra, partindo do princípio de que a mudança climática moderna, fruto da indústria humana, e o PETM eram tão parecidos. "Não seria engraçado se fossem a mesma causa?", ponderou ele.

No entanto, em meados da década de 1990, ninguém levou a sério a sua especulação. Isso só foi acontecer em 2017, quando Schmidt recebeu a visita de Adam Frank (1962-), astrofísico da Universidade de Rochester, buscando descobrir se civilizações em outros planetas poderiam alterar o clima como nós.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



ENTRETENIMENTO  |   05/12/2021 19h00





ENTRETENIMENTO  |   05/12/2021 18h00


ENTRETENIMENTO  |   05/12/2021 17h00