ECONOMIA

Medidas segurança e saúde são fundamentais para retomada dos atendimentos em clínicas de saúde



Sebrae Nacional -

Diante da liberação gradual do funcionamento de estabelecimentos comerciais no país, incluindo clínicas de saúde e bem-estar, o Sebrae apresenta aos donos de pequenos negócios do segmento um protocolo específico com orientações e recomendações para uma retomada segura e consistente das atividades, de acordo com as autoridades oficiais de saúde e entidades setoriais. Para o Sebrae, o retorno das atividades econômicas deve ser feito com base no controle rígido de segurança e higiene tanto para a equipe de colaboradores e fornecedores, quanto para os clientes. 

Recomenda-se que os donos de clínicas médicas, odontológicas, de psicologia, de nutrição, dentre outras, fiquem atentos aos decretos estaduais e municipais que tratam sobre o retorno das atividades econômicas, assim como às orientações dos órgãos e entidades que regulamentam o setor.  Caso exista divergência de informações entre as medidas anunciadas, a orientação do Sebrae é optar por seguir a orientação mais rígida, de preferência de acordo com as recomendações das autoridades oficiais de saúde, como Organização Mundial de Saúde (OMS), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Ministério da Saúde, dentre outras.

Os empresários do setor de clínicas de saúde e bem-estar devem ter em mente que, ao retornar às atividades, vão se deparar com um novo cenário que traz mudanças de comportamento, inclusive no consumo de produtos e serviços. Ao adaptar o negócio seja no layout do ambiente físico ou no atendimento e contato com os clientes, os donos de pequenos negócios também têm a chance de atrair a clientela ao oferecer um local seguro para a prestação dos serviços.

Confira abaixo as principais recomendações e orientações para retorno das atividades de clínicas de saúde e bem-estar:

Orientações para o ambiente de clínicas

*  Organize uma área de chegada para os profissionais disponibilizando produtos sanitizantes para mãos e calçados, por meio de tapete umidificado com hipoclorito de sódio na entrada do estabelecimento.

*  Garanta um espaço reservado para a guarda de bolsas e itens pessoais dos colaboradores e forneça sacolas plásticas para acondicionar os pertences de cada funcionário.

*  Disponha comunicados que instruam pacientes/clientes, assim como funcionários sobre as normas de proteção em vigência na empresa.

*  Deve-se proibir a permanência de pessoas que não sejam pacientes, ao menos se for por necessidade do paciente, limitando-se a um acompanhante.

*  A entrada de pessoas na clínica deve ser limitada. Se possível, abra o estabelecimento em horários alternativos, para que a circulação de clientes e profissionais não coincida com o pico do transporte público.

*  É importante que o atendimento seja previamente agendado, observado intervalos mais espaçados para que menos clientes entrem em contato entre uma sessão e outra.

*  A ocupação simultânea dos ambientes deve respeitar o limite de uma pessoa a cada 4 m². Sendo assim, coloque avisos, cartaz informativo, na entrada do estabelecimento informando a capacidade máxima de pessoas no local.

*  Durante o horário de funcionamento, feche periodicamente os ambientes para a limpeza e desinfecção.

*  A higienização dos locais de trabalho e das áreas comuns deve ser feita sempre que houver troca de profissionais para o ocupar o posto de trabalho de outro.

*  Adote procedimentos para, na medida do possível, evitar tocar superfícies com alta frequência de contato, como botões de elevador, maçanetas, corrimãos etc.

*  Verifique se os locais de trabalho estão limpos e higienizados, como superfícies (mesas e bancadas) e objetos (telefones, teclados).

*  Remova enfeites, revistas, flores, quadros, brinquedos, objetos de decoração da sala de espera e não disponibilize, bebedouros, garrafas de chá ou cafeteiras ou assemelhado para uso compartilhado.

*  Reorganize os móveis da recepção de maneira a não deixar pacientes em espera frente a frente, ou aumente a distância entre as acomodações (sofás e cadeiras).

*  Instale, se for possível, barreira de vidros ou acrílico na recepção ou áreas de atendimento para ampliar ainda mais a distância e diminuir o contato entre atendente e cliente. Promova o distanciamento de 1,5 m entre pessoas nas filas na entrada ou recepção. Uma dica é utilizar adesivos no chão para demarcação da distância mínima.

*  A recepção deve ser limpa sempre com pano úmido e detergente ou sanitizante.

*  Não é recomendado o uso de vassouras ou aspiradores de pó.

*  No caso dos atendimentos odontológicos, evite a produção de aerossol e após cada atendimento realize a desinfecção das superfícies do ambiente clínico, da área menos contaminada para mais contaminada, de cima para baixo, de dentro para fora, não se esquecendo das mangueiras de ar e água, e filtro do ar acondicionado.

*  Para a limpeza do biofilme das mangueiras de ar e água, prefira utilizar ácido paracético para desinfecção de alto nível.

*  Em relação à limpeza, as peças de mão sem anti-refluxo devem ser evitadas para não contaminar o sistema de ar e água do equipamento.

*  Todas as peças de mão (alta e baixa rotação) devem passar pelo processo de descontaminação com detergente enzimático, limpeza e esterilização, conforme RDC/ANVISA nº 15 de 15/03/2012.

*  Os instrumentais que forem utilizados precisam ser umectados previamente, limpos com detergentes enzimáticos, conforme instruções do fabricante e, por último, esterilizados.

 

Orientações para colaboradores

*  É de grande importância a formação dos trabalhadores sobre os aspectos de segurança e saúde, tendo em vista que aqueles que atuam no atendimento direto com paciente e usuários terão mais chance de contato com pessoas portadoras da covid-19.

*  Nas clínicas odontológicas, de acordo com orientação da ANVISA e recomendações da Associação de Medicina Intensiva/Conselho Federal de Odontologia (AMIB/CFO – 2020), ainda durante a pandemia da Covid-19, o atendimento deve ser apenas em situações de urgência e emergência.

*  Crie e divulgue protocolos para identificação e encaminhamento de trabalhadores com suspeita de contaminação pelo novo coronavírus antes de ingressar no ambiente de trabalho.

*  Evite que funcionários que sejam do grupo de risco e acima de 60 anos, assim como pessoas que residem com pessoas do grupo de risco, exerçam atividades de contato com o público direto.

*  Informe a seus funcionários e contratados que qualquer pessoa que tenha tosse frequente ou febre (37,3º C ou mais) precisa permanecer em casa. Deixe claro para os funcionários que eles poderão contar esse tempo como licença médica. 

*  Verifique se toda a equipe recebeu sua vacina contra a gripe sazonal (AMIB/CFO, 2020).

*  Capacite todos os colaboradores em como orientar os clientes sobre as medidas de prevenção da clínica.

*  Escolha um colaborador para fiscalizar se os novos procedimentos estão sendo efetuados da forma estabelecida.

*  Troque de colaborador periodicamente para essa função.

*  Realize periodicamente reuniões de alinhamento de procedimentos com os funcionários para manter o padrão das ações e rotinas de trabalho definidas.

*  Oriente que os colaboradores devem vestir o uniforme, ou roupa de trabalho, somente durante o expediente e que uniformes, Equipamentos de Proteção Individuais (EPIs) e máscaras não devem ser compartilhados. 

*  Faça orientação para uso de farda branca que seja lavada diariamente com o uso de água sanitária. 

*  Oriente higienização dos celulares e que evitem ao máximo o uso durante a permanência no estabelecimento.

 

Orientações para atendimento a clientes

*  Neste momento, a comunicação e relacionamento com o paciente/cliente é essencial. Informe que o seu estabelecimento é comprometido com boas práticas e com a segurança, para que eles se sintam seguros.

*  Faça também a comunicação no seu site ou redes sociais.

*  Priorize o agendamento do atendimento pessoal e/ou à distância, principalmente pensando nos públicos que estão mais vulneráveis diante à Covid-19.

*  Durante o agendamento, verifique por meio de breve pesquisa se o paciente/cliente apresenta algum sintoma da doença ou se esteve exposto ao risco de contágio recentemente. Se a resposta for sim, oriente que a pessoa fique em casa ou, se possível, faça o atendimento à distância.

*  Organize uma área de chegada para os clientes com a disponibilização de produto para higienização das mãos e dos calçados, com borrifador de álcool 70% ou tapete com desinfetante.

*  Oriente os clientes a não consumirem alimentos no estabelecimento e que evitem falar ao celular durante a permanência no local.

*  Solicite o uso de máscaras ou forneça assim que o cliente entrar no local.

*  Na hora do pagamento dos serviços ou recepção para o atendimento, demarque no chão as posições da fila, com no mínimo 1.5 m entre as pessoas.

*  Cubra a maquinha com filme plástico para facilitar a higienização após o uso.

Orientações para relacionamento com fornecedores e distribuidores

*  Todas as recomendações de higiene e saúde devem ser exigidas também a fornecedores e distribuidores. 

*  O recolhimento e transporte para processamento dos equipamentos, produtos e artigos utilizados devera´ ser realizado de maneira adequada para prevenir a possibilidade de contaminação ou a transferência de microrganismos para ambientes.

*  Para isso, recomenda-se aos trabalhadores utilizar vestimenta própria, em todas as áreas técnicas e restritas; utilizar todos os Equipamentos de Proteção Individuais compatíveis com o risco inerente a` atividade a ser realizada e não deixar o local de trabalho com os EPIs e as vestimentas utilizadas em suas atividades.






COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM